Publicidade
Sexta-feira, 15/12/2017
Busca
Buscar
Facebook
Twitter
RSS
Cadastre seu e-mail em nossa newsletter

Bebês até 1 ano

Tudo o que você precisa saber sobre as primeiras descobertas da criança estão aqui. Entenda o que acontece durante essa fase, desde recém nascidos até o primeiro ano de vida!

Os pais devem obrigar os filhos a comer?

É natural a preocupação dos pais com a quantidade de comida que seus filhos consomem diariamente. Mas será que ao forçar a criança a ingerir mais alimento do que deseja estamos trazendo algum benefício para a saúde dos pequenos?

Obrigar os filhos a “raspar o prato” pode trazer consequências indesejáveis, como o ganho de peso excessivo. As crianças nascem com o controle da saciedade em perfeito equilíbrio, ou seja, elas respondem imediatamente ao sinal de saciedade interrompendo a ingestão de alimentos. Também são capazes de identificar quando estão com fome e não se alimentando por gulodice.

Ao consumir alimentos em excesso, a criança não respeita os sinais de saciedade e se acostuma a comer até sentir estufamento e desconforto abdominal, ao invés da leveza e bem estar que uma refeição deve proporcionar. Além disso, a criança pode achar que só deve parar de se alimentar com ordem dos pais, passando a comer em grande quantidade na ausência de seus responsáveis.

A obrigação na hora da refeição também pode causar seletividade alimentar.  =e o comentário de um estudo britânico publicado na revista Appetite em dezembro de 2011. Mães de 104 crianças de 3 a 6 anos de idade responderam a um questionário sobre práticas e comportamentos alimentares que demonstrou que, além de comprometer a noção de saciedade, as crianças obrigadas a “raspar o prato” podem desenvolver recusa alimentar, pouco apetite e desinteresse pelo alimento.

Quando a dieta é extremamente seletiva, a criança consome os mesmos alimentos diariamente e exclui muitos outros que são essenciais para o seu crescimento e desenvolvimento adequado. Cada alimento é rico em um nutriente diferente, por exemplo, crianças que não consomem duas a três porções de frutas por dia dificilmente atingem suas necessidades de vitamina C, micronutriente essencial para fortalecer o sistema imunológico.

Vale ainda lembrar que assim como os adultos, as crianças apresentam fases da vida em que estão naturalmente com menos apetite e devemos respeitar este momento. Mas em caso de perda de apetite súbita, sem alterações do sono e de humor, deve-se procurar imediatamente o pediatra.

O ideal é sempre respeitar a fome, assim como a saciedade do seu filho e, quando os pais não conseguem resolver o problema, a ajuda de um nutricionista especializado em alimentação infantil se torna necessária.

Drª Isabel Jereissati
Nutricionista pós-graduada em Nutrição Clínica Funcional e em Nutrição Materno-infantil 

 
Deixe seu comentário:
Nome:
E-mail* ( Seu e-mail não será divulgado! )
Comentário*
 
Gestação Semana a semana

E-mail

Senha