Publicidade
Segunda-feira, 25/09/2017
Busca
Buscar
Facebook
Twitter
RSS
Cadastre seu e-mail em nossa newsletter

Gestantes

Esta seção vai ajudar as gestantes a entenderem melhor o milagre da gravidez

Os benefícios da música em seu organismo

Você costuma ouvir música? A música está presente em todos os momentos nas nossas vidas, seja no rádio, em casa, no trânsito e até mesmo quando estamos em silêncio já que nosso organismo tem sua própria orquestra na união da respiração, batimentos cardíacos e outros.

E será que a música é capaz de refletir em nosso corpo? A resposta é sim.

Qualquer tipo de som quando chega até o ouvinte pode causar diversas reações físicas, orgânicas ou psíquicas. Por exemplo, quando se ouve um ritmo com pulso acelerado os batimentos cardíacos também tendem a acelerar e seu estado emocional pode ser alterado causando uma contração muscular, assim como pode alterar o limiar e a percepção da dor, reduzir ou eliminar o uso de analgésicos e medicamentos, pode ter um efeito de anestesia, alterar a pressão sanguínea, a pulsação, ansiedade, percepção do nascimento, relaxamento, o nível de apgar ao nascer, etc.

A música também é utilizada em processos terapêuticos, na Musicoterapia ela representa mais que uma habilidade para tocar um instrumento ou cantar é um instrumento de saúde, desenvolvendo potenciais, buscando desenvolver potenciais, restaurando funções de saúde do indivíduo através de reabilitação, prevenção ou tratamento.

Se a música altera nosso organismo imaginem se a ouvinte é uma gestante. Quaisquer alterações causadas pela música no organismo humano refletem no bebê, desde o primeiro contato do novo ser com o útero materno, ele já se relaciona com os sons intrauterinos, como os batimentos cardíacos materno, os ruídos intestinais, a respiração, etc.

O bebê sente estes sons através das vibrações, e conforme ele se desenvolve, vai percebendo que essas são essenciais para sua vida e para sua sobrevivência, sendo que qualquer alteração dos batimentos cardíacos maternos que impulsionam o fluxo sanguíneo para o bebê e pode ser vivenciado por ele como algo bom ou algo ruim como morte, stress ou alarme fetal.

Desde modo recomendo: ouçam música! Não existem receitas de músicas boas ou ruins, simplesmente escolham um repertório onde possa promover acalanto quando o objetivo é relaxamento ou motivação quando se deseja obter estímulo físico ou psíquico.

A música está presente no mundo cabe a nós nos entregarmos a ela e deixar que suas alterações reflitam em nosso organismo em prol a nossa saúde.

Carolina Rodrigues
Musicoterapeuta e Psicóloga

 
Deixe seu comentário:
Nome:
E-mail* ( Seu e-mail não será divulgado! )
Comentário*
 
Gestação Semana a semana

E-mail

Senha