Publicidade
Domingo, 17/12/2017
Busca
Buscar
Facebook
Twitter
RSS
Cadastre seu e-mail em nossa newsletter

Gestantes

Esta seção vai ajudar as gestantes a entenderem melhor o milagre da gravidez

Anseios, problemas e dilemas de uma gestação

A gravidez dura em média 280 dias, ou seja, 40 semanas, ou 9 meses. A data mais provável do parto (DPP) é o último dia da 40ª. Semana, contados a partir do 1º. dia da sua última menstruação.

Significa que o bebê nascerá, mais provavelmente, em torno desse dia, podendo, porém, nascer bem e saudável desde 15 dias antes até 15 dias depois dessa data.

Calcule a data mais provável do seu parto, Exemplo:

Dia da última vez que você ficou menstruada 28/12/2010
Some 7 dias 04/01/2011
Some 9 meses 04/10 /2011

O resultado encontrado é sua DPP (data mais provável do parto), neste caso 04/10/2011.

A gestação é uma época de intensas modificações físicas, emocionais e sociais. Algumas gestações são planejadas, outras não.
Mas, em qualquer caso é frequente surgirem, para os futuros pais, sentimentos contraditórios, com momentos de aceitação, alegria e felicidade e outros de medo, angústia, rejeição. Isto é perfeitamente normal e não traz prejuízos para o bebê. Também os demais familiares podem experimentar as mesmas contradições. Se possível, partilhem seus sentimentos sem se envergonhar, nem censurar.

O ideal, na gravidez como em todas as situações da vida, seria que vivêssemos tranquilos, sem problemas nem aborrecimentos. Entretanto, problemas fazem parte da vida que continua enquanto gestamos nossos filhos.

Durante a gravidez a mulher pode ter problemas de trabalho, doença de familiares etc. Não tema chorar, se tiver vontade, ou expressar suas emoções.

O choro, muitas vezes, alivia e relaxa e o relaxamento melhora a oxigenação e a circulação sanguínea, o que é muito bom para o bebê e para a mãe.

Alguns casais não têm sua vida sexual alterada na gravidez, mas não se surpreendam se notarem diminuição ou aumento do desejo sexual tanto da parte de um quanto do outro.

A nossa cultura santifica muito a imagem da mãe e por isso tanto homens como mulheres podem sentir a grávida, futura mãe, como um ser angelical, assexuado. Algumas grávidas também se sentem plenas e, sentindo-se assim, não têm espaço para o desejo sexual.

Às vezes, há desencontro entre o casal, tendo um dos dois um aumento do desejo e o outro, diminuição.

Estas alterações, em geral, são passageiras e será muito bom para o relacionamento do casal se conseguirem conversar francamente sobre elas.

Se a gestação tiver um curso normal e não tiver havido nenhuma contraindicação, a atividade sexual, inclusive com penetração do pênis na vagina e orgasmo, pode ser mantida até o fim da gravidez, pois não traz nenhum prejuízo para a mulher ou mesmo para o bebê, uma vez que ele está bem protegido dentro do útero.

Você já deve ter ouvido a frase “não criamos filhos para nós e sim para o mundo”. É verdade. A gestante está preparando um futuro cidadão ou cidadã. A sociedade tem interesse em que o bebê nasça saudável.

Por isso, para proteger a gestação, são criadas leis como as que permitem que a grávida mude de função caso seu trabalho seja insalubre e prejudicial para o bebê; leis que reservam lugares nas conduções coletivas ou em filas para as gestantes; leis que protegem a amamentação, como de resto outros instrumentos que protegem a gravidez e a criança.

Por isso, informe-se de seus direitos e não vacile em exercê-los, pois não serão beneficiados apenas você e seu bebê, mas toda a sociedade, que ganhará um indivíduo saudável.

Dr. Marcos RenatoVitória Pamplona e Tomaz Pinheiro da Costa
Conteúdo do livro: Da Gravidez à amamentação
“O dia-a-dia de um importante período de nossas vidas”.

 
Deixe seu comentário:
Nome:
E-mail* ( Seu e-mail não será divulgado! )
Comentário*
 
Gestação Semana a semana

E-mail

Senha