Publicidade
Sabado, 23/09/2017
Busca
Buscar
Facebook
Twitter
RSS
Cadastre seu e-mail em nossa newsletter

Ser mãe

Espaço para mamães, gestantes e futuras mamães. Ser mãe é uma dádiva, seja seu filho de sangue, de coração ou apenas um doce desejo! Confira dicas.

Qual o momento certo para se ter filhos?

Os hábitos reprodutivos das famílias sofreram uma grande transformação na segunda metade do século XX, após a introdução de métodos eficientes do controle da natalidade. Ocorreram também modificações sociais profundas, tais como a profissionalização da mulher, a opção dos casais por terem menos filhos (redução da taxa de fecundidade) e o adiamento do início da vida reprodutiva.

Como conseqüência destas modificações sociais, o perfil reprodutivo das mulheres teve também modificações biológicas, principalmente por causa da demora em testar a fertilidade, o que aumenta a chance do casal apresentar dificuldade em obter gestações normais de forma natural.

Cada vez mais mulheres perguntam: Até que idade eu posso esperar para ter meu primeiro filho?

Uma mulher é considerada de idade materna avançada quando atinge os 35 anos. Mas este não é um limite rígido, ou seja, isto não quer dizer que abaixo desta idade ela não apresente risco nenhum e que a partir dos 35 anos ela entre numa faixa de risco muito perigosa. A transição é lenta e gradativa, nunca abrupta.

A que tipo de riscos uma mulher mais velha está exposta?

Quando analisamos a associação entre genética, idade materna e fertilidade, constatamos que, com o aumento da idade materna, ocorre uma diminuição tanto da quantidade como da qualidade dos oócitos. Quanto mais elevada a idade da mãe, maior a probabilidade de ocorrerem aberrações cromossômicas, que são observadas tanto em recém-nascidos como nos abortos espontâneos. A Síndrome de Down é uma alteração cromossômica (trissomia do cromossomo 21), sendo bastante conhecido o fato de ser mais frequente entre mães idosas. Como a principal causa de abortos espontâneos são as aberrações cromossômicas, a probabilidade da paciente idosa sofrer um aborto espontâneo também está aumentada. Naqueles casos em que o abortamento é muito precoce, a gestação pode não ser diagnosticada, o que pode ser interpretado como uma dificuldade em engravidar.

Outro aspecto que deve ser considerado é que existe a diminuição do número de oócitos viáveis, o que pode provocar uma diminuição da fertilidade, ou seja, uma dificuldade maior em obter a gestação.  Quando isto acontece, pode existir a necessidade de um tratamento de reprodução assistida. O sucesso destes tratamentos também depende da idade materna.

A idade paterna avançada também pode trazer riscos?

A produção de espermatozóides começa na puberdade e se estende praticamente por toda a vida reprodutiva e os riscos paternos aparecem só mais tarde, por volta dos 50 anos. A idade avançada nos homens contribui mais para o surgimento de mutações gênicas e não de aberrações cromossômicas.

Como saber os riscos específicos para cada casal?

Existe um procedimento conhecido como Aconselhamento Genético Reprodutivo, que é um processo de orientação relativo ao risco reprodutivo de um casal, auxiliando-o a compreender suas reais possibilidades, conhecer os métodos de avaliação disponíveis e tomar decisões conscientes.

Drª Leila Farah
Especialista em Citogenética Humana

 
Deixe seu comentário:
Nome:
E-mail* ( Seu e-mail não será divulgado! )
Comentário*
 
Gestação Semana a semana

E-mail

Senha