Publicidade
Sexta-feira, 15/12/2017
Busca
Buscar
Facebook
Twitter
RSS
Cadastre seu e-mail em nossa newsletter

Tentando engravidar

Dificuldades para engravidar ? Aqui tentaremos tirar as suas dúvidas e ajudar você a realizar esse sonho

Aborto espontâneo: causas e riscos

O aborto natural é uma gestação que termina espontaneamente antes que o bebê possa se desenvolver completamente. Mas isso não significa, necessariamente, que tenha algo de errado com o aparelho reprodutor da mãe.

Não existe nenhuma causa precisa do aborto, tornando difícil a identificação exata da sua causa. Há vários tipos de abortos, por isso cada um deles apresenta  motivos que certamente estão relacionados à condição de saúde da gestante.

Na ameaça de aborto, a mulher passa por sangramento vaginal e dor abdominal. Isso geralmente acontece nos primeiros meses de gestação e o sangramento na maioria das vezes é leve. Esses sintomas não passam de uma ameaça, pois o colo do útero continua fechado e a gravidez ainda está segura e, na maioria dos casos, mesmo depois do ocorrido as mamães tem uma gestação com final feliz.

Pouco tempo depois que o embrião foi implantado no útero (nas primeiras semanas da gestação) o aborto natural pode acontecer e algumas vezes podem passar despercebido, porque o sangramento acontece no mesmo período que aconteceria a menstruação da mulher e ela pode nem perceber que esteve grávida.

Os casos de aborto incompleto ocorrem quando parte do aborto espontâneo acontece, mas ficam no útero alguns resquícios da fecundação, como por exemplo, a placenta. Os sintomas são fortíssimos dores abdominais e um sangramento mais grave em relação a outros abortos. Apenas um exame de ultrassonografia pode identificar se existe algum material restante dentro do útero, ou não.

O aborto natural completo acontece quando se dá a expulsão de todos os elementos da fecundação de dentro do útero, que são feto e placenta. Os sintomas desse aborto são sangramento e dores abdominais, porém os sintomas desaparecem mais rápido. Depois da saída dos tecidos do útero, um exame de ultra sonografia também é indicado para certificar que nada restou no ventre. Caso seja necessário, o procedimento a ser feito  para a retirada de qualquer material é chamado de curetagem.

O aborto séptico é um dos mais graves, pois além de acontecer a perda do bebê, a saúde da mãe também é colocada em risco de morte. O aborto séptico acontece devido a abortos como completo e incompletos, ou seja, a pessoa que já sofreu um desses dois abortos está mais propensa a ter um aborto séptico. A vida da mãe entra em risco porque depois do aborto natural, alguns ou até mesmo todos os tecidos da gestação restante no útero se infectam causando uma infecção generalizada. Os principais sintomas são sangramento vaginal, arrepios, febre alta, exaustão, entre outros.

Segundo especialistas, uma mulher com menos de 35 anos que tenha sofrido um abordo natural tem 25% de chances de sofrer novamente com este problema em uma segunda gestação.

Fatores que favorecem o abortamento espontâneo

De várias causas de aborto, a mais comum e difícil de prevenir no primeiro trimestre de gestação é uma anomalia nos cromossomos do feto, que pode ser o resultado de uma alteração no processo de divisão de uma célula ou de um óvulo e até mesmo do espermatozoide.

As anomalias cromossômicas são alterações no número ou estrutura do cromossomo durante alguma falha da divisão celular e que são importantes causas de mortalidade perinatal e deficiência mental na infância que causam, pelo menos, metade dos abortamentos.

Algumas infecções estão diretamente relacionadas ao abortamento espontâneo, são elas: rubéola, varíola, malária, salmonela, entre outras.

Prevenção

É muito importante consumir alimentos certos tanto quanto evitar os errados.

Mães mal nutridas também apresentam risco maior de aborto natural. Mulheres com peso muito abaixo do normal, muitas vezes, não são saudáveis o bastante para sustentar uma gestação, assim como dependentes químicas. Alguns médicos recomendam a abstinência completa de álcool no período da gestação.

O Ferro é um nutriente essencial para a vida e atua principalmente na fabricação das células vermelhas do sangue e no transporte do oxigênio para todas as células do corpo, por isso manter-se afastada da anemia contribuirá muito para uma gestação de sucesso.

O ideal antes de engravidar é que os pais estejam com o peso médio normal. Eliminem o tabaco e o álcool e pratiquem exercícios de forma regular, desta forma, contribuirão para que o aborto não faça parte de sua gestação.

Equipe Filhos & Cia.
Por Marcela França

 

 
Deixe seu comentário:
Nome:
E-mail* ( Seu e-mail não será divulgado! )
Comentário*
 
Gestação Semana a semana

E-mail

Senha