Publicidade
Domingo, 17/12/2017
Busca
Buscar
Facebook
Twitter
RSS
Cadastre seu e-mail em nossa newsletter

Crianças de 7 a 12 anos

As melhores dicas reunidas, desde a fase dos "porquês" até a pré-adolescência.

E quando o meu filho crescer, como será?

Esta pergunta é com certeza, uma das milhares existente dentro da cabecinha da maioria das mães e também de alguns pais.
A sensação de “abandono” vivida pelos pais quando os filhos por algum motivo saem de casa, seja para estudar, casar, trabalhar ou até mesmo quando os filhos começam a sair sozinhos pode ser chamada de Síndrome do Ninho Vazio.
Mães que a vida inteira se dedicam única e exclusivamente para os filhos, sentem neste momento seu “mundinho de mãe” se arruinar.
Esta síndrome não é considerada nenhum tipo de doença física ou psicológica, mas com certeza, uma profunda tristeza, que pode trazer grandes sequelas.
O psiquiatra e psicanalista Dr. Paulo Santos, diz que a perda é algo que faz parte da vida e acrescenta dizendo: – “Perdemos a quietude do útero para ganharmos a mãe com toda sua ternura e carinho; perdemos o seio materno após o aparecimento dos dentes, perdemos o colo da infância ao ganharmos força nas pernas, enfim as perdas são essenciais no processo de expansão individual.
Quando perdemos ilusões, verdades novas substituem verdades antigas e a evolução se faz em nós. É muito importante que as mães tenham desde cedo, a consciência de que os filhos irão crescer, porém continuarão sendo seus filhos, pois o fato de eles saírem, porque cresceram, não quer dizer, que não voltarão mais.”
Uma frase que é chocante para qualquer mãe é aquela que diz: A criança é um ser maravilhoso, que ao passar do tempo, vai desaparecendo no mundo dos adultos. Isso aconteceu conosco e certamente acontecerá com nossos filhos. Todos nós fomos crianças um dia e desaparecemos neste mundo, que hoje ainda afligem muitos pais e mães.
Além da preocupação da saída dos filhos, acrescentamos a preocupação da violência urbana em que vivemos nos nossos dias.
Hoje a mulher desenvolve diversas tarefas no dia-a-dia. Além dos filhos, temos responsabilidade com o trabalho, a casa, os estudos, com o parceiro, enfim, somos multifuncionais.
É fundamental lembrar, que os filhos não perdem seus valores e ensinamentos, nem sua essência tão facilmente e que esta saída do ninho, é algo que acontece de forma natural. Os filhos crescem, mas não deixam de amar pais e mães, ele apenas estendem o amor que receberam por toda a vida, para outras pessoas.
Não podemos esquecer, que eles crescerão, irão, mas voltarão, pois nunca deixarão de ser nossos.

Equipe Filhos & Cia
por Marcela França

Entrevistado: Dr. Paulo Santos

 
Deixe seu comentário:
Nome:
E-mail* ( Seu e-mail não será divulgado! )
Comentário*
 
Gestação Semana a semana

E-mail

Senha