Publicidade
Sabado, 23/09/2017
Busca
Buscar
Facebook
Twitter
RSS
Cadastre seu e-mail em nossa newsletter

Bebês até 1 ano

Tudo o que você precisa saber sobre as primeiras descobertas da criança estão aqui. Entenda o que acontece durante essa fase, desde recém nascidos até o primeiro ano de vida!

A amamentação – O instinto, a arte e a técnica

A preparação dos seios deve começar ainda durante o pré-natal. Geralmente o obstetra ensina a gestante a fazer alguns exercícios para o preparo dos mamilos. Estes exercícios podem ser reforçados pelo pediatra na entrevista durante o pré-natal.

O objetivo é de fortalecer os mamilos e torná-los aptos para sua função. Muitas mães possuem os mamilos total ou parcialmente invertidos (bico para dentro). Através dos exercícios eles ficam liberados para que o bebê possa abocanhá-los com facilidade.

Outro objetivo é o de “calejar” os mamilos. Por se tratar de uma região de muita sensibilidade é necessário que a pele dos mamilos esteja mais forte para não se romper e causar rachaduras. Um mamilo bem “calejado” evita que a mãe sinta dor ao amamentar. Esta dor é  comum (mas pouco confessada) e ocorre quando a mãe não se prepara corretamente e leva muitas a desistirem de amamentar.

Os exercícios devem ser realizados diariamente, de forma sistemática. Mas sem exageros para não terem efeito contrário e ao invés de fortalecerem, traumatizarem a região. Também podem eventualmente serem contra-indicados para mulheres com tendência a trabalho de parto prematuro.

Os exercícios são:

a- Durante o banho não usar sabonete para lavar os mamilos, só água. Esfrega-los levemente com uma bucha ou esponja macia.

b- Cortar uma rodela na ponta do sutiã abrindo uma janela para que os mamilos fiquem em contato direto com a roupa. O roçar leve e constante ajudará a fortalecê-los.

c- Banho de sol diretamente nos seios, durante 15 minutos, antes das 10 ou após 15 horas. Caso não seja possível pode ser usada uma lâmpada comum de 40 ou 60 watts colocada a 30 centímetros de distância dos seios, pelo mesmo período.

d- Usando 3 dedos puxar o bico para fora, o máximo possível, sem causar dor. Iniciar com 10 movimentos e aumentar gradativamente até chegar à 50 vezes em cada lado, uma vez por dia.

e- Colocar os dois polegares próximos a um mamilo, um acima e outro abaixo e puxar, um dedo para cima e o outro para baixo, durante alguns minutos. Em seguida colocar os polegares ao lado desse mamilo e puxar, um dedo para a direita e o outro para a esquerda. Fazer nos dois seios e repetir 2-3 vezes por dia.

O aleitamento deve se iniciar o mais cedo possível, idealmente ainda na sala de parto, como já dissemos. Embora os bebês geralmente já possuam um reflexo de sucção, eles têm de aprender a mamar, assim como a mãe vai aprender a amamentar. Portanto, há um período natural de adaptação mútua que pode durar horas ou dias.

No caso de uma cesariana, pode haver mais dificuldade inicialmente por parte da mãe devido a dor ou posição. Entretanto elas são passageiras e não impedem o aleitamento e também não interferem na qualidade ou quantidade do leite materno.

A mãe deve procurar uma posição cômoda para amamentar. Nas primeiras horas ou dias ela pode amamentar deitada de lado e neste caso deve tomar cuidado com o sono, para não adormecer sobre o bebê.

Mas a posição mais utilizada pelas mães é sentada. Deve-se sempre utilizar uma cadeira confortável, de preferência uma poltrona com apoio para os braços. A mãe deve apoiar bem os braços nos apoios e as costas no encosto da poltrona, se necessário usando um travesseiro. Isto para evitar as dores nas costas que podem surgir após alguns dias, caso a posição seja incorreta.

A posição do bebê em relação à mãe é muito importante. Sua cabeça e seu corpo devem estar alinhados, numa mesma reta e sua barriga voltada para o corpo da mãe, encostada nela. Um braço da mãe segura as costas e a cabeça do bebê. Com a outra mão, a mãe oferece o peito colocando o polegar um pouco acima da aréola (a parte mais escura do peito). Os outros dedos e a palma da mão ficam embaixo, também próximos à aréola. O polegar e o indicador  devem formar uma letra “C”.

É importante que a mãe esteja bem calma e relaxada. O bebê deve ser levado até o peito, e não o contrário.

Para fazê-lo abrir a boca basta tocar em seu lábio inferior com  o mamilo. Mas cuidado pois se outra parte do rosto for tocada ele vai se desviar naquela direção. Outra forma de faze-lo abrir a boca é puxando seu queixo para baixo. Nesta hora a mãe deve “apertar” um pouco a letra “C” aproximando um pouco o polegar e o indicador que seguram a mama, fazendo uma prega para facilitar a pega.

      O passo seguinte é muito importante. O máximo possível da aréola (e não apenas o bico) deve ser colocado na boca do bebê. Esta pega correta garante uma boa mamada, sem que seja engolido ar e sem que ele machuque a mãe ao mamar. A principal causa de rachaduras no mamilo é a pega errada, onde o bebê coloca na boca apenas o bico, ao invés da aréola toda.

Quando a pega está boa o lábio inferior do bebê fica um pouco virado para fora (como se estivesse fazendo um beicinho…). A mãe escuta o barulho que ele faz ao engolir, ou sente que ele está engolindo colocando a mão na garganta. Após a pega não se deve continuar pressionando a mama com o polegar, pois isto pode fazer com que o mamilo saia da boca do bebê.

A cada mamada devem ser dados os dois peitos, sempre trocando o que é dado primeiro. A duração da mamada deve ser de 15 a 20 minutos de cada lado. Mamadas muito longas ou muito curtas podem estar sendo improdutivas e a tanto a técnica de amamentação quanto o peso do bebê precisam ser avaliados pelo pediatra.

Se for preciso tirar o bebê do peito é preciso cuidado pois simplesmente puxá-lo pode machucar o bico. A forma correta consiste em introduzir o dedo mínimo na boca dele fazendo com que ele comece a sugar o dedo e largue o mamilo.

Não é necessário lavar os mamilos após a mamadas, basta deixá-los secar ao ar livre. Não esqueça de colocar o bebê para arrotar.

Não se preocupe em manter um horário rígido, pois no início o bebê pode querer mamar a toda hora. A regra é: chorou, mama. E se o bebê tiver pouco peso ou peso demais e estiver dormindo muito, por mais de três horas, acorde-o para mamar. E para acordá-lo você já sabe: tire a roupa dele ou faça cócegas no seu pé.

 O ambiente para a amamentação deve ser calmo e tranqüilo, num clima  íntimo. Se necessário “expulse” as visitas com delicadeza mas com firmeza. Os primeiros dias são muito importantes para o futuro da amamentação e portanto para o bebê. Para evitar a estafa a mãe deve aproveitar para descansar e dormir junto com o bebê, nos intervalos das mamadas.

 Ruy do Amaral Pupo Filho
Pediatra, Sanitarista e Escritor

 
Deixe seu comentário:
Nome:
E-mail* ( Seu e-mail não será divulgado! )
Comentário*
 
Gestação Semana a semana

E-mail

Senha