Publicidade
Sabado, 23/09/2017
Busca
Buscar
Facebook
Twitter
RSS
Cadastre seu e-mail em nossa newsletter

Gestantes

Esta seção vai ajudar as gestantes a entenderem melhor o milagre da gravidez

Os riscos da obesidade durante a gestação

O excesso de gordura corporal é definida como obesidade….mas não se assuste não podemos chamar de obesa uma pessoas que tem apenas uns quilinhos à mais que aparecem visivelmente pelas dobrinhas na cintura, costas ou em outras partes do corpo.

Para uma pessoa ser considerada obesa segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS) é necessário ter o Indíce de Massa Corporal acima de 30. Como consigo então saber se me encontro longe ou próximo deste número?

Basta dividir seu peso corporal em quilos pelo quadrado da estatura em centímetros (P/E2).

A OMS elaborou uma classificação, observe a tabela abaixo:

IMC até 24,9 - peso normal

IMC de 25 a 29,9 – acima do peso

IMC acima de 30 – Obesidade

A obesidade é conhecida é hoje uma epidemia mundial, e no nosso país isto também é uma realidade. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) o excesso de peso e a obesidade entre as mulheres cresceram 50% nos últimos 30 anos, e atualmente, 51,9% das brasileiras entre 20 e 44 anos estão acima do peso, idade em casamos e temos nossos filhos.

Mas quais são os riscos do excesso de peso durante a gravidez?, Porque os obstetras se preocupam tanto com o peso que a mulher pode ganhar durante a gestação?

Evidências científicas relatam que quanto maior o IMC pré gestação ou no primeiro trimestre maiores são os
riscos para a mãe e o bebê. Pesquisas revelam que quanto maior o IMC maior o risco de diabetes, e pré-eclâmpsia. As gestantes obesas também apresentam maior probabilidade de terem infecções de urina, além partos por cesariana, hemorragia e infecção no pós parto.

Mas não para por aí, os bebês de gestantes obesas também podem sofrers conseqüências desastrosas do excesso de peso materno. As malformações fetais são mais comuns em gestantes obesas do que com peso normal, além de maior incidência de defeitos no tubo neural, mesmo utilizando suplementação adequada de ácido fólico.

O peso do bebê também pode ser afetado, bebês com peso acima de 4 quilos (macrossomia) são comuns em gestantes obesas, independente da associação com diabetes mellitus. Ao nascer seus filhos têm maior probabilidade de serem obesos, e este risco aumenta se a mãe é diabética.

Além disso, sabemos hoje que o ganho de peso durante a gestação é um dos mais relevantes determinantes para retenção de peso pós parto, e assim muitas mulheres não conseguem perder o peso que ganharam durante a gestação entram numa nova gravidez com quilos á mais formando um ciclo perigoso.

Por isso que a manter um peso normal para sua estatura antes da gravidez é bastante interessante bem como ganhar o peso recomendado pelo seu médico.

Algumas estratégias são necessárias como a combinação de uma alimentação saudável e a prática de exercícios físicos em todas as fases: pré-gravidez, gravidez e pós-parto.

Texto base: MATTAR, R. et al. Obesidade e Gravidez. Rev Bras Ginecol Obstet. 2009, 31(3):107-10

Drª Valéria Almeida
Professora de Educação Física

 

 
Deixe seu comentário:
Nome:
E-mail* ( Seu e-mail não será divulgado! )
Comentário*
 
Gestação Semana a semana

E-mail

Senha