Publicidade
Domingo, 24/09/2017
Busca
Buscar
Facebook
Twitter
RSS
Cadastre seu e-mail em nossa newsletter

Bebês até 1 ano

Tudo o que você precisa saber sobre as primeiras descobertas da criança estão aqui. Entenda o que acontece durante essa fase, desde recém nascidos até o primeiro ano de vida!

Cuidados de rotina – Alimentação e Vacinas

O conjunto de cuidados que fazem parte da supervisão de rotina da saúde infantil é chamado de puericultura. E o primeiro mês de vida é o período mais importante e delicado da puericultura, já que o recém-nascido da espécie humana é um dos seres mais dependentes que existem na natureza. Assim vamos ver de perto todos os cuidados necessários nesta etapa.
As consultas pediátricas vão seguir sempre uma mesma rotina. O pediatra fará perguntas, observações e dará orientações nas seguintes áreas: alimentação, vacinas, prevenção de acidentes, crescimento, desenvolvimento neuro-psico-motor e higiene geral, incluindo o banho de sol .
Não apenas na primeira, mas em todas as consultas de rotina subseqüentes estas áreas serão observadas.
Na supervisão da alimentação o pediatra verificará como está a amamentação, quais as possíveis dificuldades, envidando todos os esforços para incentivar e garantir o aleitamento materno.  Um processo que já deve ter começado durante o pré-natal.
Quanto às vacinas, existem duas que devem ser feitas ainda no período neonatal:
A primeira é o BCG intradérmico, que é aplicada no braço direito e protege contra a tuberculose. Esta vacina faz parte do calendário oficial de vacinação do Brasil, e sua aplicação é feita gratuitamente na rede pública de saúde. Ou em clínicas particulares se esta for a opção da família. Esta vacina não dá reações gerais como febre ou mal estar. Mas no local da aplicação, após um ou dois meses, pode aparecer um pequeno abscesso com saída de pus. Basta lavar e secar o local, sem cobrir e sem passar nenhum tipo de pomada ou pó.
A outra é a vacina contra a hepatite B. Ela já faz parte da rotina de vacinação em outros países e é recomendada no Brasil pela Sociedade Brasileira de Pediatria. Ela já está disponível em quase toda a rede pública brasileira, mas as vezes só é encontrada nas clínicas particulares. Deve ser aplicada em 3 doses, ao nascimento, com 1 mês e aos 6 meses de vida. Raramente apresenta reação, que inclui febre baixa ou dor no local da aplicação. A Organização Mundial de Saúde considera esta vacina muito importante e vai apoiar programas nos países que a coloquem nas suas rotinas. Após conversar e obter todas as informações o pediatra examina o bebê. Este exame deve ser completo e minucioso e para isso o bebê deve estar completamente pelado.
Todas as mensurações devem ser feitas: peso, estatura e os perímetros cefálico, torácico e abdominal.
Quanto ao peso, é normal uma perda nos primeiros dias de até 10% do peso de nascimento. Habitualmente esta perda é recuperada por volta do décimo dia de vida. No primeiro mês o bebê deve engordar por volta de 800 gramas e crescer cerca de 4 centímetros no comprimento. O perímetro cefálico (tamanho da cabeça) deve aumentar cerca de 3 centímetros nesse primeiro mês refletindo o crescimento cerebral.
O recém-nascido possui características próprias que costumam causar muitas dúvidas nos pais, principalmente quando se trata do primeiro filho.
Terminado o exame físico o pediatra fará as anotações necessárias na ficha clínica do bebê inclusive preenchendo o gráfico de desenvolvimento pondero estatural, onde se acompanha através de curvas a evolução do peso, da estatura e do perímetro cefálico.
Um resumo de tudo deve ser anotado no prontuário médico portátil do bebê. Apesar de representar um trabalho a mais para o médico, trata-se de uma iniciativa importantíssima para o paciente, que assim terá posse de todas as anotações referentes à sua saúde, como vimos anteriormente.
A data da próxima visita vai depender das condições da criança. Um bebê saudável que já esteja ganhando peso pode ser visto novamente com um mês de idade. Entretanto em casos de icterícia, prematuridade, ganho de peso insuficiente e outros, as visitas podem ser semanais ou até mais freqüentes.

Ruy do Amaral Pupo Filho
Pediatra, Sanitarista e Escritor

 
Deixe seu comentário:
Nome:
E-mail* ( Seu e-mail não será divulgado! )
Comentário*
 
Gestação Semana a semana

E-mail

Senha