Publicidade
Segunda-feira, 25/09/2017
Busca
Buscar
Facebook
Twitter
RSS
Cadastre seu e-mail em nossa newsletter

Bebês até 1 ano

Tudo o que você precisa saber sobre as primeiras descobertas da criança estão aqui. Entenda o que acontece durante essa fase, desde recém nascidos até o primeiro ano de vida!

Alimentação

ATENÇÃO

“As diretrizes aqui fornecidas têm o objetivo de orientação e são de caráter geral  podendo não se aplicar a casos específicos.  As idades e cardápios referidos são meramente sugestões e a introdução dos alimentos pode ser antecipada ou postergada a critério médico. Além disso, qualquer alteração na alimentação da só deve ser feita sob orientação e supervisão do médico assistente.”

A alimentação ideal deve fornecer os elementos necessários para um crescimento e desenvolvimento adequados.

Regra de ouro: jamais forçar, insistir ou agradar para a criança comer! E nunca dar ouvidos aos palpites (mesmo que bem intencionados) de parentes, vizinhos ou  amigos.

Lembre-se de que a criança aprende observando os exemplos e não ouvindo discursos. Se você quer que seu filho cresça comendo uma alimentação saudável, que inclua verduras, legumes e frutas, dê o exemplo: coma sempre estes alimentos e evite guloseimas e refrigerantes.

A introdução de novos alimentos tem o objetivo de fornecer novos nutrientes e de ensinar a criança a mastigar e engolir alimentos mais consistentes.

Todo alimento novo deve ser dado com cuidado, só um pouquinho nos primeiros dias (2 ou 3 colheres das de chá), para evitar o perigo de uma alergia ou desarranjo intestinal, aumentando aos poucos.

Uma dificuldade inicial da criança em mastigar ou engolir é normal , não devendo ser encarada como uma recusa e pode ser contornada com uma atitude persistente .

NOS PRIMEIROS 5 MESES DE VIDA

Leite materno exclusivo. Nada mais é necessário, nem mesmo água ou chá.

Se a amamentação for impossível, total ou parcialmente, o pediatra poderá recorrer a um dos inúmeros leites industrializados disponíveis, específicos para cada caso.  Se a criança estiver tomando outro leite que não o materno, pode ser também necessário oferecer água.

Se a criança mama o peito, deve ser evitado o uso de mamadeira ou chuca. Qualquer outro leite ou líquido que for dado a ela deve ser oferecido em copinho ou colher.

COM 5 OU 6  MESES

Nessa idade inicia-se o suco de frutas e a papa de frutas. Pode-se usar frutas regionais da estação. Continua o leite materno.

O suco pode ser dado uma ou duas vezes por dia nos intervalos das mamadas e a fruta uma vez, após a mamada do almoço, como sobremesa.

É muito importante que a fruta não seja passada em liquidificador ou processadora pois fica muito homogênea e não ensina a mastigar e engolir.

O certo é amassar bem a  fruta com um garfo (ou raspar, como no caso da maçã por exemplo) e dar às colheradas.

Pode-se aproveitar o caráter laxante ou obstipante da fruta para regular o intestino da criança.

COM 6 MESES

Nesta idade pode-se iniciar a papinha salgada, uma vez por dia, no horário do almoço (por volta de 12 horas). Para crianças que tem intestino preso a sopa deve conter mais verduras. Ao contrário, para prender usa-se mais legumes.

Tanto aqui como no caso das frutas é válida a opção por “potinhos” industrializados por empresas idôneas. Continua o leite materno.

Sempre que possível ou necessário podem ser utilizadas as alternativas regionais de frutas, legumes ou verduras.

Dependendo da criança pode também ser introduzido o mingau de cereais. São muitas as opções, dependendo de cada caso, como por exemplo: Maizena (MR), farinha de aveia, farinha de arroz, Neston, Mucilon, Farinha Láctea (MR) e Cerelac (MR). O preparo varia para cada um deles (basta seguir as instruções nos rótulos). O mingau pode ser uma boa opção para a criança que ainda acorda durante a noite e neste caso pode ser dado antes da criança dormir. Sempre após consultar seu médico, é claro!

COM 7 MESES

Nesta idade a criança começa a jantar, também sopinha salgada (por volta das 18 horas).

A sobremesa pode ser variada e além das frutas pode-se introduzir gelatinas, queijinhos tipo  “Danoninho” (MR) e leites acidificados tipo “Yakult” (MR). Continua o leite materno.

COM 8 OU 9 MESES

Dependendo da existência de dentes ou de já estar bem desenvolvida a capacidade da criança mastigar e engolir, inicia-se nesta idade a transição para uma alimentação mais sólida. Continua o leite materno.

Arroz bem cozido e amassado, caldo de feijão, carne bem desfiada, legumes e verduras também bem amassados. Conforme a aceitação, a consistência vai sendo progressivamente aumentada.

APÓS 1 ANO DE IDADE

Nesta idade podem ser acrescentados alimentos antes contra-indicados, como a clara do ovo.

O apetite começa diminuir, é um fato normal. Lembre-se da regra de ouro! O uso de “vitaminas” ou remédios para “abrir” o apetite é desnecessário e ineficaz na grande maioria dos casos. Além disso podem ter efeitos colaterais importantes.

A alimentação passa a ser a mesma do restante da família, constando de 2 ou 3 refeições de leite e 2 de sal. Retirar a mamadeira, se ainda estiver em uso.

Exemplo de cardápio:

Desjejum: leite, puro ou com achocolatado, pão, bolacha, manteiga, mingau de cereais, frutas, queijo.
Frutas no meio da manhã
Almoço: comidinha amassada ou desfiada, com legumes, verduras, ovo, carne de vaca, frango ou peixe.
Merenda da tarde: frutas, pão, bolacha, iogurte, leite, queijo.
Jantar: igual ao almoço. Opção: mingau de cereais.

Cuidado com o uso excessivo e rotineiro de guloseimas, doces e refrigerantes. Estabeleça e mantenha uma regra firme. Por exemplo, que este tipo de alimento só será oferecido em finais de semana.

APÓS 2 ANOS DE IDADE

A partir desta idade são necessárias 4 refeições (2 de leite e 2 de sal). O apetite diminui ainda mais. Pode-se substituir de vez em quando uma refeição por um sanduíche misto ou “cheeseburguer” e um “milk-shake”.

Evitar as guloseimas (balas, “salgadinhos”), enlatados, refrigerantes e alimentos coloridos artificialmente. Manter o hábito das frutas, verduras e legumes. Ensinar a mastigar bem os alimentos, comer devagar (dê o exemplo!)

Ruy do Amaral Pupo Filho
Pediatra, Sanitarista e Escritor

 
Deixe seu comentário:
Nome:
E-mail* ( Seu e-mail não será divulgado! )
Comentário*
 
Gestação Semana a semana

E-mail

Senha